Escolha a fonte mais
confortável pra você:

Ative o modo noturno:

gatilhos mentais

Gatilhos mentais: Tudo o que você precisa saber {+7 exemplos}

Cara ou coroa? A sorte foi lançada na moeda, ela decidirá por você, certo? Errado! Os gatilhos mentais já foram ativados, você só não percebeu.

O Thinking Business realizou um estudo bem revelador sobre o nosso comportamento, que diz que nós tomamos, pelo menos, 35 mil decisões por dia.

Você não percebe, mas está sempre pensando em algo, e eu estou falando de escolhas simples do cotidiano, como: comer, o que vestir, o melhor caminho para ir ao trabalho, etc.

É como quando você joga uma moeda para cima. Teoricamente, ela decidirá, no entanto, durante o período que ela está no ar, você torce por um dos lados.

Este é um impulso natural, porque as decisões acontecem, primeiramente, no inconsciente e somente depois, com uma justificativa, torna-se algo do consciente.

A Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) explica que o seu cérebro toma a maior parte das decisões no inconsciente, até para que você possa se concentrar no que realmente importa.

Já imaginou ter consciência de todas as vezes que você pisca os olhos? Viver seria insuportável! (Muito obrigada, cérebro!).

Claro que o nível de consciência vai de cada um, pois sofremos forte influência do que se vive, lê, assiste ou experiência de alguma outra forma.

E é também por isso que você está aqui agora, é uma escolha sua ler este artigo até o final e aprender mais sobre a persuasão dos gatilhos mentais.

 

gatilhos mentais

 

Neuromarketing: Explicando o seu consumo

 

gatilhos mentais

Sabe o que te faz sair de casa com desejo específico de comer um McDonalds? O neuromarketing explica.

O neuromarketing é a ligação da neurociência com o marketing, tendo como objetivo principal entender as preferências do consumidor, ou seja, não é uma questão de compra por impulso, é uma explicação lógica do porquê tornar-se um cliente fiel.

Ao contrário do que se pensa, as pesquisas mercadológicas apontam tendências comportamentais, mas não necessariamente atrelam à motivação.

Desta forma, temos o neuromarketing como um divisor de águas, o qual apresenta não somente o efeito, mas também a causa das decisões.

Como eu já disse, as decisões que você toma não acontecem de forma racional do jeito que muita gente acredita, elas só se transformam em processos racionais quando partem para o consciente.

Essa transição é determinada por uma série de estímulos externos que são interpretados internamente por cada indivíduo, levando em consideração o repertório que cada um tem.

Tais estímulos são chamados de gatilhos mentais, os quais ativam partes específicas do cérebro e desencadeiam diferentes reações.

Para que você entenda o que são gatilhos mentais, terá que captar algo bem simples, o cérebro é dividido em 3 partes: Reptiliano, Límbico e Neocórtex.

 

  • Cérebro Reptiliano

É a parte mais instintiva do cérebro, também conhecida como complexo R.

Esta área controla os nossos impulsos mais selvagens, geralmente ligados à sobrevivência, ou seja, decisões “automáticas” como respirar.

Isso significa que ele é ativado por emoções primitivas (medo, raiva e fome).

 

  • Cérebro Límbico

É a parte em que as emoções são processadas de forma mais complexa, sendo assim o responsável pelo armazenamento de dados. Ou seja, ele é ativado pelas sensações que envolvem os 5 sentidos

O que muito provavelmente causou o surgimento do Brand Sense, vertente do Branding que agrega valor à uma determinada marca por meio de experiências sensoriais.

 

  • Neocórtex

É a parte do cérebro que controla o lado social do ser humano e também o raciocínio, ou seja, é basicamente onde as decisões são tomadas de fato.

Em resumo, podemos dizer que o neuromarketing estuda as técnicas que manipulam as associações, conscientes ou não, que uma pessoa faz em relação a uma marca.

 

E, então, o que são gatilhos mentais?

 

gatilhos mentais

O seu corpo é uma grande máquina que volta e meia precisa de ajustes, por isso tem como principal função realizar ações variadas.

Ao longo do seu dia várias tarefas são feitas, todas envolvendo centenas de escolhas. No entanto, a maior parte dessas decisões é feita como num “piloto automático”.

Tudo que você decide “automaticamente” é para que você não tenha que se preocupar com A ou B, pois, geralmente, são fatores comuns do cotidiano, assim você evita o esgotamento pela quantidade de escolhas.

Os gatilhos mentais são motivações que influem exatamente nessas decisões que não exigem muito, funcionando como atalhos para o cérebro.

São considerados atalhos por encurtarem o caminho até a ação final, visto que a mente já está “educada” para reagir de uma mesma maneira.

Desta forma, são grandes aliados do marketing, pois ajudam um bom vendedor a persuadir o cliente.

Além do mais, o uso dos gatilhos mentais também prende a atenção do lead, cria conexão, aumenta a confiança na marca e fortalece o diferencial da empresa.

 

7 Tipos de gatilhos mentais

 

1. Escassez

gatilhos mentais

Sabe aquele ditado que só se dar valor quando se perde? Esse é o gatilho da escassez!

A falta pesa muito mais do que os excessos, por isso que perder tem mais força do que ganhar, mesmo que a diferença seja mínima.

Então quando você oferta um determinado produto e o coloca como algo que já está acabando, gera a sensação de que o consumidor estará perdendo uma oportunidade valiosa, dobrando as chances dele comprar.

 

2. Urgência

gatilhos mentais

Esse é um dos gatilhos mentais mais conhecidos do mercado, utilizado principalmente por varejistas.

O senso de urgência tem uma forte relação com o gatilho da escassez, geralmente, os anúncios que usam dessa dupla têm ótimos resultados.

Por exemplo, vamos supor que você esteja fazendo um lançamento de uma coleção exclusiva. Então oferta “As melhores peças também são as mais raras. Compre agora e não perca esta oportunidade única!”

Estas palavras desencadeiam forte apelo de necessidade, isso acontece porque você não dá margem para saídas, é apenas 1 escolha.

 

3. Reciprocidade

gatilhos mentais

O gatilho da reciprocidade é a troca entre a empresa e o cliente.

As pessoas estão cada vez mais exigentes, querem inovação e conexão. Assim, você deve entender que a comunicação do seu negócio precisa criar laços com o público alvo.

Aqui temos a base do Inbound Marketing, que é justamente a entrega de conteúdos relevantes para agregar valor e atrair consumidores.

Portanto, presenteie, faça sorteios, ebooks e o que mais for relevante para que o seu cliente se sinta importante.

 

4. Prova Social

gatilhos mentais

A prova social é um dos gatilhos mentais mais eficazes e antigos.

O filósofo Aristóteles disse, e eu concordo, que somos seres sociais.

Viver em sociedade é uma das nossas necessidades básicas de sobrevivência, também por isso, estamos sempre procurando nos encaixar em algum grupo.

Isso ainda é fortalecido com a fala de Jean-Paul Sartre que dizia: “O outro é nosso melhor espelho”.

Nós somos altamente influenciáveis e movidos pelo pertencimento, ou seja, mesmo que não percebamos, queremos aprovação e estamos atentos ao que esperam de nós.

Este gatilho mexe exatamente com o fator da reprodução das ações, portanto, quando mostramos que João ama all star, as chances de Marcos também amar triplicam.

Além do mais, terceiros falando sobre a sua marca agrega muito mais valor do que você falando, por isso o sucesso devastador dos influencers.

 

5. Antecipação

gatilhos mentais

Você certamente já sofreu por ter criado expectativas e entende que sofrer por antecipação é o mesmo que se decepcionar 2 vezes.

Agora imagine usar esse sentimento duplicado de uma forma positiva e que te gere lucro?

Este é um dos gatilhos mentais mais subestimados, mas com certeza com resultados incríveis.

A antecipação mexe com o que se espera do futuro, criando um clima de expectativa, mas tome cuidado, você precisa cumprir o que promete para não frustrar a sua audiência.

 

6. Novidade

gatillhos mentais

Naturalmente, estamos propensos a comodidade, no entanto, apesar disso, gostamos de novidades que nos tirem da zona de conforto

Isso pode ser explicado pela liberação de dopamina, hormônio do prazer, no momento em que estamos expostos a algo novo.

Por isso, sempre inclua em suas estratégias formas para surpreender seus clientes.

 

7. Dor x Prazer

Com o gatilho da novidade você pôde compreender o poder do prazer, mas sabe o que é ainda mais forte para a persuasão? Dor!

É bem fácil de entender na verdade, é melhor não levar um murro do que receber um abraço.

Você deve se apresentar como solução da dor do possível cliente, mostre que ele está sofrendo sem necessidade, pois você sabe como melhorar a vida dele.

 

E aí? Tudo pronto para usar os gatilhos mentais?

 

Tem alguma dúvida ou dica? Deixa nos comentários!

Não se esqueça de avaliar este artigo caso ele tenha sido útil para você!

Até a próxima conversa!

 

26 de abril, 2019
Avalie este artigo
Total: 24 Média: 4.5
Geovana Moura
Geovana Moura
Oi, pode me chamar de Geo, tenho 21 anos de idade, sou redatora copywriter aqui do GG, apaixonada por neuromarketing e piadas sem graça.
Ver todos os posts